COLUNA PONTO DE VISTA

A Bigorna 10/01/2018 12:34:00 581 visualizações
# legenda: Coluna

Por Carlos Cam

ARTIGOS INTERESSANTES N°3

Parte 1/4:  VERGONHA! VERBA DO TURISMO É DIRECIONADA PARA FAVORECER "AMIGOS DO PODER"

A questionada Obra do calçamento com lajotas de concreto da Avenida Santa Rita, às margens da SP255 -- Rodovia João Mellão, no trevo do Costa Azul, teve sua execução prorrogada até 27 de Abril de 2018, sendo que seu valor global é na ordem de R$  207.015,01.

O termo de prorrogação foi publicado no Semanário Oficial da Estância Turística de Avaré n° 847, de 8 de Dezembro de 2017, contudo, somente agora, com o início da execução das guias e sarjetas moldadas  

"In loco" de concreto, é que este procedimento veio se tornar de conhecimento da população local; ainda porque esta edição do Semanário teve pouca ou nenhuma distribuição de exemplares no bairro.

Anteriormente, quando de outras ocorrências desta natureza, as causas alegadas eram sempre as mesmas : "falta de veículo para a entrega do jornal e/ou de combustível". Agora deve ter sido motivado pelas chuvas do período. (??)

              HAJA TRAPALHADA

A administração passada, leia--se Secretário Municipal de Planejamento João José Dalcim, com parceria e conivência do COMTUR -- Conselho Municipal do Turismo, na época sob a presidência de Lambertus Heijmeijer, (que colaborou com o infausto procedimento "avalizatório". Ou pelo menos fez vistas grossas!), foram os protagonistas principais de uma triste, vergonhosa e lamentável peça, como esta do "engendramento", dentro do mais puro maquiavelismo, visando o calçamento com lajotas sextavadas de concreto  da Avenida Santa Rita (Bairro Santa Rita, defronte o Balneário Costa Azul).

A justificativa para a contratação, conforme solicitação oriundo da Secretaria Municipal de Planejamento e Obras, bem como do Departamento de Convênios, foi a seguinte : "A Obra pretende sanar os problemas de acesso dos turistas à praia pluvial que se encontra em péssima situação pela ação do tempo e chuvas".

"Quanta canalhice técnico-profissional!"

Pô! Que acesso? Que praia? Que turistas? Só se as visitas forem daqueles parentes, também milionários, dos milionários proprietários das chácaras e residências nos condomínios de luxo ao longo da Avenida, eis que, quase não (nunca) se verifica por ali qualquer presença de pessoas estranhas aos moradores.

Também pelos lados do vizinho Condomínio  "Village Porto Dourado" ou da Colônia de Férias da AFPESP, é que não haveria de ser. Lá, Moradores, Visitantes, Hóspedes e Funcionários, são cadastrados.

                  ------------------------------------

Parte 2/4:  DESCONHECIDOS NÃO SÃO BEM VISTOS NO SANTA RITA

A realidade é uma só: "qualquer pessoa, alheia à comunidade santarritense, é visto como intruso, um "farofeiro".

E se ainda jovens e adolescentes, porventura tatuados, mesmo que estejam só  caminhando pela praia, com certeza serão alvos de preconceitos, avaliados como ( possíveis) "ladrões em potencial".

"Só  estão circulando pelo pedaço, filmando o ambiente", tentarão justificar. "Curto e grosso assim"!

E os caseiros são instruídos para  agirem desse modo, justo por ordem do condômino--chefe. Senão perdem o emprego!

Como prezam muito pelo fator segurança, um pré-julgamento pessoal, de forma rígida e até; muitas vezes; injusto, vem à balha.

Definitivamente, por aqueles lados, pessoas desconhecidas não são bem vindas. Ponto final!

Não acredita? Vá até lá, simples mortal-- turista! Experimente levar seu isopor com umas latinhas, a bolachinha água e sal, a azeitoninha como tira--gosto, o pão com mortadela para a criançada passar a tarde, com um tubo de refrigerante ao lado, e depois de tudo disposto, abra as cadeiras e crave seu guarda--sol na limpa e rastelada areia, só para ver a repercussão! A chiadeira será imediata!

Com certeza serão "convidados" a se retirarem; "a toque de caixa"!! kkkk...

“Turistas normais deste planeta", ainda se forem humildes, frequentam sim as praias do Camping e do Costa Azul, em sua grande maioria.

Imagine se vão permitir que se faça um churrasquinho, lá por aquelas bandas do Santa Rita?! Nem pensar num disparate desses!

                     ------------------------------------

Parte 3/4:  OBRA DO SANTA RITA JÁ  COMEÇOU DE FORMA POLÊMICA

Os serviços da avenida Santa Rita que tiveram início no final do mês de novembro de 2016, foi paralisado logo em seguida, em Dezembro, sob a alegação de "falta de pagamento do serviço medido".

"RÁPIDO ASSIM?", os questionamentos foram inevitáveis!

Justamente porque; se certo ou errado; era um Convênio da Municipalidade com o DADE - Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias do Governo Estadual, o que, em tese, seria uma garantia adicional para o recebimento dos valores empenhados.

Todavia, os comentários logo fervilharam, apontando que " ela, empresa Comercial 3D do Brasil Ltda. já não mais poderia contar com o protecionismo do 'padrinho', Secretário João Dalcim, que estava deixando o cargo, desalojado que fora junto com o governo Poio Novaes, derrotado nas urnas por Jô Silvestre.

E deste modo ficaria difícil de tocar a obra dentro das 'condições combinadas' (Huumm!!), já que não compensaria correr riscos, eis que também estavam com problema parecido em outros contratos com a Prefeitura de Avaré, como por exemplo, a revitalização da Praça Romeu Bretas (Lanchódromo), que por sinal, da mesma forma, teve o contrato prorrogado no mês passado; até 22 de maio de 2018".

Se invencionices dos "corneteiros" de plantão ou fato concreto, não se sabe! Mas que o zum-zum-zum correu solto por aqui, isso correu!

Sem contar que notícias "oficiosas", ainda apontavam na direção do condenável corporativismo, do interesse pessoal de funcionário público municipal se sobrepondo ao interesse coletivo, eis que entre outros membros do 1° Escalão do governo municipal, era citado que o Secretário João José Dalcim (idealizador, mentor, coordenador e agente fiscalizador maior desta suspeita obra de pavimentação de via pública), é proprietário, junto com a família, de um valorizado imóvel num dos principais condomínios ao longo da Avenida Santa Rita, como é o caso do "Clube dos Trinta".

Em síntese, Dalcim legislou em causa própria, ou melhor, em proveito próprio com a evidente valorização comercial do imóvel do qual detém 33,34% dos direitos legais, conforme consta na Ata de Resumo da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda de Pessoa Física, divulgado em face do(s) cargo(s) que exerce nos quadros da administração pública municipal.

                  -----------------------------------------

Parte 4/4: TIRARAM DOS POBRES  PARA DAR AOS RICOS

Nesta questão da pavimentação da Avenida Santa Rita a verdade é uma só: tiraram a verba que estava prevista (já alguns anos prometida) para o necessário calçamento de uma via movimentada no Balneário Costa Azul, caso da rua Bacia do Plata--Orion, principal acesso à escola do bairro, hoje esburacada, cheia de poças d'água em dias de chuva, praticamente intransitável e trazendo dissabores às mães que levam os filhos à escola "batendo barro", para aplicar no calçamento de uma via de pouco --ou quase nenhum-- movimento de veículos, muito menos de pedestres, neste caso específico, a avenida denominada Santa Rita.

Em sendo assim, e tudo muito bem explicado nos relatos dos tópicos acima, resta a pergunta: "será que alguém, LÚCIDO, dentro Departamento Técnico Municipal poderia apresentar ao povo costazulense uma; apenas uma; razão plausível, porém evocando os princípios da legalidade, impessoalidade e moralidade, que norteiam a ação do homem público no exercício da função, PARA JUSTIFICAR TAMANHA DESFAÇATEZ COMO ESTA, QUE AQUI SE DENUNCIA?

Ainda que a liberação dos recursos tenha ocorrido através da Secretária de Turismo com verbas do DADE. Mesmo porque, tantos foram os detalhes ocultos que, parece, todo o processo (projeto) correu à jato e em caráter de extremo segredo. Cá entre nós: um absurdo sem tamanho!

Finalizando, vale esclarecer que por aqui, no Balneário Costa Azul, ninguém é contra a melhoria e benefício que este tipo de obra está oferecendo aos moradores do bairro Santa Rita. Não mesmo!!

Contudo, se perguntar não ofende, "será que na planilha orçamentária estimada não têm nenhum preço unitário super dimensionado, ainda que tenha sido baseado na CPOS 166?

Eis que o preço da pavimentação com lajotas sextavadas de 8cm a R$ 62,58/m2 chamou muito a atenção. E como chamou!!!

Não esquecendo do BDI de 24%!!

AINDA EXISTE POSSIBILIDADE DE AJUSTE?

Sim! Existe!Ocorre que, pelo comprovado poder aquisitivo dos proprietários ao longo de Avenida "agraciada", bem que eles poderiam oferecer em troca um "presente de natal", mesmo que atrasado e formalizar sua adesão à Lei Municipal que instituiu o Plano Comunitário de Obras e Melhoramentos, dentro do rateio do custo final que se apresentasse. Para essas pessoas, a maioria de renomados empresários, o valor despendido por metro quadrado de testada, "não faria nem cócegas", enquanto que para os humildes moradores da Rua Bacia do Plata/Orion....

Assim estariam tentando corrigir por conta própria uma tremenda injustiça, como esta protagonizada pelo Secretário Dalcim e seus asseclas.

Esse costume de bancar o "Robin Hood às avessas", tirando do pobre para oferecer aos ricos, nunca deu muito certo por aqui, apesar de prática comum.

Ainda mais nesses tempos de vacas magras, com o DADE atrasando repasses e a Prefeitura de Avaré vendendo o almoço para comprar a janta.  E se houver vontade política, pode-se corrigir a rota e TAMBÉM CALÇAR A VIA DE ACESSO À EMEB "CELINA BRUNO", igualmente sem "mexer no bolso" dos residentes do local.

email: avozdarepresa@gmail.com

 

Contato:

WhatsApp (14) 9.9705-7070
Fone: (14) 9.9705-7070
Email: contato@abigorna.com.br